Danny Gomes entronizado Confrade do Vinho Madeira

 

O atleta madeirense Danny Gomes, e jogador do Zenit São Petersburgo, foi entronizado esta quinta-feira, dia 24 de Novembro, pela Confraria do Vinho Madeira. A cerimónia solene teve lugar na cidade do Funchal, na ilha da Madeira e contou com a presença de várias entidades governamentais desta Região, incluído o Presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, que também é membro da referida Confraria.
 
A Confraria do Vinho da Madeira é uma instituição de carácter cultural e associativo com a finalidade de promover o bom-nome do Vinho da Madeira em todo o Mundo e foi fundada em 1985. As entidades entronizadas mais recentemente nesta Confraria foram o Presidente da Republica Portuguesa, Anibal Cavaco Silva e o Rei de Espanha, Juan Carlos I.
 
O Vinho Madeira, produzido na Região Autónoma da Madeira, conta com mais de cinco séculos de existência, repleto de histórias e vivências singulares. Este vinho único e ancestral que viajou pelas cortes europeias, desde a Rússia até à Inglaterra, celebrou a Independência dos Estados Unidos da América, foi amado por poetas, apreciado por exploradores e aventureiros, serviu de fonte de inspiração de artistas, marcou a sua história no Mundo e ainda hoje continua a fazer parte das nossas vivências e sonhos futuros.
 
As ligações históricas do Vinho Madeira com a Rússia remontam os finais do séc. XVIII, onde na época se tornou na bebida popular na Corte de São Petersburgo e nas casas senhoriais.
 
O grande poeta russo Alexandre Puchkin era também um admirador deste néctar: "A minha hospitaleira cave está feliz por receber madeira cor de ouro". Gregori Rasputin, foi outra das figuras históricas da Rússia que era apreciadora do Vinho Madeira e que segundo relatos do seu secretário pessoal, Aron Simanovitch, Rasputin era muito exigente no que respeita ao vinho da Madeira, exigindo apenas “o original”.
 
A Madeira e o Vinho Madeira, através da sua Confraria, regozijam-se pelo facto de poder contar com o atleta Danny Gomes, como confrade que com a sua simpatia e reconhecimento internacional irá contribuir para levar ainda mais longe a notoriedade de um produto com características únicas e   que faz parte da historia e tradição da Ilha da Madeira .
 
Informações sobre a Confraria do Vinho Madeira
 
A Confraria do Vinho Madeira é constituída pelos seguintes órgãos: a Chancelaria, que administra e rege as atividades da Confraria, a Mesa dos Vedores, que é Conselho Fiscal da Confraria e o  Capítulo, que é a Assembleia-geral da Confraria. 
 
No Capítulo, preside à cerimónia o Cancelário-Mor, título honorífico de maior prestígio, cabendo-lhe receber na Confraria os novos Confrades, nos termos das usanças e demais regras da Confraria. Sempre que os Confrades se reúnem oficialmente tem lugar um CAPÍTULO.
 
O traje da Confraria é composto pelas seguintes peças:
 
- A capa, peça longa de veludo, cor de vinho carregado, lembrando o rubi da Malvasia vinda da Grécia.
 
- O chapéu, de veludo preto, com plumas de avestruz de várias cores, lembra os «gentilhommes» e mercadores abastados do primeiro século da colonização da Madeira, os quais muito contribuíram para o desenvolvimento económico da ilha, plantando a vinha que iam buscar a terras distantes.
 
- A Tombuladeira, peça com a qual que se faz o brinde aos novos confrades, normalmente construída em estanho, é uma pequena taça, de pouca altura, e com o fundo trabalhado, de forma a permitir que os reflexos da luz que atravessam a fina camada de vinho, possam indiciar o estado de limpidez e a cor do precioso líquido.
 
  • Imprimir